Minhas primeiras impressões de Red Fall são mistas

333

Fala galera, olha eu novamente, depois de um bom tempo sem um post novo sobre lançamentos para console, cá estou eu.

Red Fall, como o jogo chegou ao público

Antes de irmos às minhas primeiras impressões ao jogo temos que citar alguns acontecimentos que marcaram o pré lançamento do jogo, alguns dias antes do primário dia, a Bethesta anunciou através das redes sociais da Arkane Studios que Red Fall não viria com suporte ao modo desempenho no primeiro dia, mas sim através de um patch futuro.

Isso como podem imaginar não agradou a maior parte dos jogadores que esperavam ansiosos pelo lançamento. Porém apesar dessa desagradável notícia o hype não caiu. Eu particularmente me importo com o jogo de 2023, de uma nova geração que promete jogos até 120 FPS, não vir com. Ao menos um modo desempenho em 60 FPS.

Infelizmente parece que essa decisão não foi tomada lá trás, quando o jogo foi anunciado, mas sim, uma decisão que foi imposta ao time de desenvolvimento para agilizar o lançamento do jogo, uma questão de mercado. Todos sabemos que jogo que não está pronto, nunca deve ser lançado, porém, sabemos que os grandes administradores das companhias, não visam essa estratégia como prioridade, mas sim o fato que seu público precisa de um hype vivo e que gere riquezas à companhia.

Red Fall, joguei, morri e me estressei!

De início, gostaria de dizer que só joguei o jogo sozinho até então, é noite de lançamento, nem todos meus amigos estão disponiveis, e eu gostaria de testar uma experiência solo primariamente.

Pra começar, eu escolhi a Layla para ser minha personagem – fui instigado a escolhe-la devido ao brilhante trabalho feito pela equipe de VXF do jogo, que efeitos especiais bem feitos! Comecei a história, e no começo tudo era um pouco confuso, mas logo entendi o que estava rolando.

O framerate não me incomodou como eu esperava, por causa de boa otimização o jogo nao tinha quedas de framerate, o que fazia com que os 30 FPS sejam suaves. O que melhora e muito a jogabilidade, sem framedrop o combate ficou interessante mesmo sem estar em 60 FPS.

Depois de passar a primeira missão, pude entender melhor a mecânica de missões da história, e como o mundo funciona. Depois do primeiro ato, você fica seguro em um alojamento reformado por seus conterrâneos, que voce ajudou a salvar. Ele e outros pontos de controle podem ser tomados durante o gameplay, porém enquanto você não toma novos pontos de controle próximo às suas missões, cada morte no jogo te levará de volta ao ponto de controle original, e bem, isso me irritou muito.

Confeso que não sou um exímio jogador de shooters, mas essa escolha de fazer o jogador voltar ao ponto de controle, longe demais de onde ele morreu, desanima demais qualquer um de continuar. Só de pensar que terá de enfrentar todos os Vampiros novamente para ainda sim tentar execurtar a missão novamente é um ideia cansativa.

Fora isso estou jogando o jogo e pretendo fazer uma analise geral do jogo no final, quem estiver com vontade de jogar comigo, me add na live, minha gamertag é: pedrohpaixao. Abraços a todos e até a próxima!